Seis reclusos tentaram fugir, esta quarta-feira, da prisão de alta segurança de Monsanto. Todos são considerados extremamente perigosos e têm medidas especiais de segurança.

No grupo que tentou a fuga, está o responsável pela morte do filho do ministro da Saúde da Argentina.

Outro dos reclusos é um dos maiores traficantes de droga da zona Sul.

Há ainda um homem suspeito de terrorismo, que estava a recrutar em Portugal para realizar um atentado na Alemanha.

Os outros reclusos estão também eles ligados a crimes violentos.

O grupo de seis elementos aproveitou a falta de vigilância dos guardas prisionais para tentar escapar, usando um ângulo do pátio da prisão que tem pouca visibilidade e que fica perto de uma das torres de vigia que estava sem guarda.

O primeiro recluso a tentar saltar o muro foi o homicida do filho do ministro da Saúde argentino, que acabou por se cortar nos arames farpados e caiu, motivo pelo qual não foi concretizada a fuga.

No exterior do estabelecimento prisional estaria uma viatura à espera dos seis reclusos.