“Eu creio que é uma grande manifestação, e com sentido da proporcionalidade é dos maiores desfiles de 1.º de Maio na Europa e com certeza no mundo”, disse, acrescentando que o objetivo da concentração foi “derrotar a direita”.




“É isto que nos dá muita confiança e muita esperança de que é possível a mudança, de que é possível uma política alternativa, patriótica e de esquerda.”






“Quem é responsável pela desestabilização é o Governo com o seu anúncio de privatização da TAP, da entrega daquele património nacional, de uma empresa de bandeira, que emprega 12.000 trabalhadores, uma empresa que estabelece as relações lusófonas e que tem este 'know how'.”