Último dia útil da semana e menos calor. As temperaturas baixam ligeiramente esta sexta-feira, com as máximas a rondar os 25º e até pode chover e trovejar durante a tarde, no interior, em especial na região centro.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a descida da temperatura máxima pode ser mais acentuada no litoral, com a mínima a descer um pouco, também.

O vento tende a soprar fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte de noroeste no litoral, com rajadas da ordem dos 60 km/h, e nas terras altas a partir do início da tarde.

Em Lisboa, as temperaturas vão variar entre 18 e 26 graus Celsius, no Porto entre 15 e 24, em Bragança entre 13 e 30, em Viseu entre 14 e 28, na Guarda entre 15 e 27, em Coimbra entre 14 e 26, em Leiria entre 11 e 22, em Portalegre entre 23 e 32.

Beja será a cidade mais quente, com previsões de 34 graus celsius, seguida de Évora e Portalegre com 33 enquanto no sul do país as máximas vão chegar aos 25 em Faro.

Apesar da nebulosidade e aguaceiros que podem ocorrer hoje, o céu vai continuar limpo ou com poucas nuvens nos próximos dias. Ou seja, teremos um fim de semana de bom tempo em Portugal. 

No sábado, por exemplo, as temperaturas deverão oscilar entre os 17 e os 25 graus em Lisboa, 17 a 30 em Faro e 15 a 21 no Porto.


Radiação ultravioleta forte 

O  risco muito alto de exposição à radiação ultravioleta estará patente em 21 regiões do continente e, ainda, em Santa Cruz e Ponta Delgada (Açores) e Funchal (Madeira).

As 21 regiões do continente são Aveiro, Beja, Bragança, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Penhas Douradas, Porto, Portalegre, Sagres, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu e Vila Real.

O IMPA recomenda, por isso, o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol, protetor solar, assim como evitar a exposição das crianças ao sol.

A radiação ultravioleta pode causar graves prejuízos para a saúde, caso o nível exceda os limites de segurança. Há cinco possíveis, entre o baixo e o extremo.

Atenção: risco de incêndio


Os concelhos de Pampilhosa da Serra, Oleiros, Sertã, Vila de Rei, Sardoal e Mação apresentam risco máximo de incêndio. 

O IPMA colocou também em risco muito elevado de incêndio 55 concelhos de distritos de Portugal continental, 31 dos quais do centro, nomeadamente de Santarém, Coimbra, Castelo Branco e Leiria.

O restante mapa de Portugal continental encontra-se "pintado" a laranja, cor que revela que os concelhos estão com risco elevado de incêndio, enquanto só Mértola e Castro Verde (Beja) e Terras de Bouro, Montalegre e Boticas (Vila Real) apresentam risco reduzido .

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo. O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou na quarta-feira 77 incêndios, que foram combatidos por 870 operacionais, com o apoio de 255 veículos.