O  Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para esta quinta-feira céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade por nuvens altas na região sul, com o vento a soprar fraco a moderado do quadrante leste, soprando moderado a forte com rajadas da ordem dos 60 km/h no litoral a sul do Cabo Carvoeiro até meio da tarde.

Está igualmente previsto um acentuado arrefecimento noturno, com formação de geada nas regiões do interior norte e centro.

As temperaturas, tanto a máxima como a mínima, que é mais significativa nas regiões do interior norte e centro, também vão descer um pouco.

Esta quinta-feira as temperaturas vão oscilar entre os menos um grau centígrado de mínima na Guarda, que deverá chegar aos 10 de máxima e os nove de mínima e os 20 de máxima em Leiria.

Lisboa, Faro, Évora e Viana do Castelo têm previsões de 18 graus de máxima e oito de mínima, enquanto Coimbra, Braga e Porto devem chegar aos 19 de máxima. Em Vila Real estão previstos 15 graus de máxima (dois de mínima), Bragança 13 de máxima e zero de mínima. Mais a sul, Beja deverá chegar aos 19, menos um em Faro, com 18 de máxima (13 de mínima) e 17 para Sagres (11 de mínima).

Para os Açores, cujo céu estará geralmente muito nublado, com períodos de chuva em especial durante a madrugada e manhã, as temperaturas vão oscilar entre os 14 de mínima e os 16 de máxima em Santa Cruz das Flores e Ponta Delgada e os 17 graus de máxima na Horta e Angra do Heroísmo.

O distrito de Faro encontra-se sob aviso amarelo devido à previsão de ondas altas que podem chegar aos cinco metros.

De acordo com a informação do IPMA, o sul de Portugal continental vai estar sob aviso amarelo, o segundo mais grave de uma escala de quatro, entre as 06:00 desta quarta-feira e as 15:00 de sábado.

Apesar do aviso amarelo para o distrito de Faro, as barras marítimas algarvias encontram-se abertas a toda a navegação.

Já as barras de Esposende, Póvoa do Varzim e São Martinho do Porto estão esta quinta-feira fechadas a toda a navegação devido à previsão de agitação marítima, informou a Marinha portuguesa.

A barra de Vila do Conde está condicionada, com a Marinha a aconselhar as embarcações até 12 metros de comprimento e/ou calado inferior a dois metros, a praticar a barra no período compreendido entre as duas horas antes e após a preia-mar. Para as embarcações com comprimento superior a 12 metros e/ou calado superior a dois metros, apenas podem praticar a barra no período da preia-mar.

Quanto à barra da Figueira da Foz, a Marinha condicionou-a a embarcações com comprimento inferior a 11 metros.