Mais de um milhão de alunos do terceiro ciclo e do ensino secundário podem aceder, a partir de segunda-feira, a informação sobre os diferentes tipos de cancro e a forma de os prevenir, através do projeto «Liga-te à Prevenção».

Desenvolvido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, em parceria com a Porto Editora, o projeto tem como ambição «chegar a toda a comunidade escolar, transmitindo-lhes que a adoção de hábitos de vida saudáveis» os previne «contra o flagelo que é o cancro», disse hoje à agência Lusa o presidente da LPCC, Francisco Cavaleiro de Ferreira.

O projeto baseia-se numa plataforma de e-learning que disponibiliza gratuitamente conteúdos didáticos que os professores de diversas disciplinas poderão introduzir nas suas aulas, mediante a utilização de diferentes materiais de apoio.

«Em 2013 sabíamos que as nossas ações chegavam a cerca de 60 mil alunos, neste momento, e com o lançamento desta plataforma vamos chegar» a todos os estudantes do 3º ciclo e do ensino secundário, disse o presidente da liga.

Tendo em conta que os jovens ainda estão «num processo de crescimento e de formação da sua personalidade, tentámos ao máximo explorar as temáticas de forma apelativa e combinar com mensagens objetivas, focadas na explicação das diferentes doenças, comportamentos de risco, e importância da prevenção», explicou.

Esta iniciativa também surgiu de «uma necessidade identificada na relação que a LPCC mantém com as escolas, e com os professores, uma vez que recebemos anualmente inúmeras solicitações para partilhar materiais e apresentações», adiantou.

Para Francisco Cavaleiro de Ferreira, os jovens ainda não estão «suficientemente informados» sobre a doença, continuando a assistir-se a alguns comportamentos de risco.

«Há um fator que não joga a nosso favor, a irreverência da própria idade». Por outro lado, «o cancro ainda é um tema tabu», que provoca medo e insegurança e que está associado a uma série de preconceitos.

«É preciso acabar com esses tabus, claro, mas isso não significa que, de uma forma mais prática e ativa não se fale abertamente da doença e das suas consequências», frisou.

Mesmo assim, a LPCC sente nas atividades que promove ao longo do ano e nos workshops que realiza nas escolas que «as camadas mais jovens não estão desligadas desta problemática e até procuram mais informações».

Nesse sentido, «sentimos que esta plataforma vem sistematizar e agrupar toda a informação relevante sobre o cancro e facilitar o trabalho dos professores, pais e encarregados de educação, facultando materiais e conteúdos que vão enriquecer e dar um novo dinamismo à exploração deste tema em sala de aula».

O projeto conta com o apoio da Presidência da República, do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação e Ciência.