Uma em cada cinco multas ficou por cobrar no ano passado, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna, citado pelo «Jornal de Notícias».
 
Tanto o Governo como a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária destacam a redução das prescrições: passaram de mais de 261 mil em 2013, para 119 mil em 2014.
 
No entanto, os processos de contraordenação também caíram no total: de mais de 1,3 milhões, para pouco mais de um milhão. Ou seja, feitas as contas, a percentagem de prescrições mantém-se nos 19%.
 
As associações do setor culpam o excesso de burocracia, aliado à falta de meios humanos da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.