O bombeiro que na quinta-feira ficou ferido num incêndio em Tondela, distrito de Viseu, e foi levado para o Hospital da Prelada, no Porto, encontra-se «bastante instável» e com «prognóstico muito reservado».

Fonte hospitalar disse hoje de manhã à Lusa que «as próximas horas serão determinantes».

O jovem de 18 anos ficou com 55% do corpo com queimaduras no incêndio de São Marcos/Muna, concelho de Tondela, que matou uma bombeira de 21 anos e feriu outros quatro operacionais.

«Está com 55% da superfície corporal queimada. Também afetou as vias respiratórias e, portanto, ele encontra-se entubado e ventilado, tem queimaduras nos membros inferiores e superiores, no dorso, na face e no pescoço. Está com prognóstico muito reservado», disse a fonte hospitalar, acrescentando que as queimaduras são de segundo e terceiro graus.

Em relação ao bombeiro Daniel Falcão, de 25 anos, operacional de Miranda do Douro que ficou ferido num incêndio a 1 de agosto e foi também transferido para o Hospital da Prelada, a fonte disse que o prognóstico evoluiu de muito reservado para reservado.

O bombeiro deu entrada com 70% a 80% do corpo queimado.

«Houve alguma evolução, de qualquer forma mantém uma situação grave, mas as coisas têm vindo a correr da melhor forma possível», esclareceu.