O secretário de Estado da Saúde, Manuel Teixeira, disse esta quinta-feira que as famílias portuguesas pouparam, de janeiro a agosto deste ano, cerca de 50 milhões de euros na compra de medicamentos.

«A política do medicamento tem sido no sentido de gerar poupanças enormes para os utentes», afirmou, em declarações à agência Lusa.

Falando em Penafiel à margem da inauguração da nova urgência do hospital daquela cidade, Manuel Teixeira frisou que a redução dos gastos tem ocorrido apesar de, naquele período, terem sido vendidos mais dois milhões de embalagens de medicamentos.

Explicando as poupanças, o secretário de Estado sublinhou a importância de o Governo ter mudado «a forma como são obtidos os preços dos medicamentos».

«Nós agora comparamos com os menores preços internacionais [dos países que fazem parte do grupo de referência - Espanha, Itália e Eslovénia] e, a partir desses, criamos os nossos», disse.

A maior concorrência interna provocada pelo Governo, disse, tem levado a baixas adicionais dos preços, o que acresce ao maior consumo de genéricos.

Para 2014, anunciou a propósito, estão previstas medidas para promover o aumento da quota de genéricos, «o que vai continuar a criar poupança e diminuição do preços dos medicamentos».