Sessenta por cento de Portugal continental estava no final de agosto em situação de seca severa e extrema, menos 20 por cento do que no final de julho, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No final do mês de agosto mantém-se a situação de seca meteorológica em todo o território de Portugal continental, verificando-se um desagravamento da área em seca severa e extrema”, indica o boletim climatológico de agosto.

A 31 de agosto, 58,9% do território estava em seca severa e 0,7% em seca extrema, contrastando com os 69,6 em seca severa e 9,2 em seca extrema verificados no final de julho.

Segundo o boletim, 2,6% do território estava em seca fraca e 37,8% em seca moderada, no final do mês passado.

O IPMA classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

Apesar deste desagravamento, o mês de agosto foi quente e extremamente seco, com um valor médio de precipitação em Portugal continental de 8,2 milímetros, o que corresponde a 60% do valor médio, segundo o IPMA.