«É evidente que o silêncio não pode prejudicar ninguém, contudo também não pode beneficiar», disse o advogado das vítimas, Vítor Parente Ribeiro, à TVI.




«Há elementos concretos que demonstram que este processo não é claro, não é transparente, isento, nem imparcial. Estas mensagens são um exemplo claríssimo e flagrante de tudo isso», acrescentou o advogado.