O comandante da capitania do porto de Setúbal, Lopes da Costa, admitiu que as buscas marítimas para tentar encontrar os cinco jovens desaparecidos na praia do Meco (Sesimbra) poderão não se realizar na quinta-feira devido ao estado do mar.

«A confirmarem-se as previsões que apontam para um agravamento das condições de mar, as buscas por via marítima serão suspensas durante o dia de amanhã [quinta-feira], mas prosseguem as buscas terrestres», disse.

«Se o estado do mar o permitir, serão também mantidas as buscas por via marítima com duas embarcações semirrígidas, uma do Instituto de Socorros a Náufragos de Sesimbra e outra da Polícia Marítima, e com uma lancha de fiscalização», acrescentou Lopes da Costa.

Esta quarta-feira algumas pessoas que se encontravam na praia do Meco chegaram a pensar que teria sido encontrado o corpo de um dos cinco jovens desaparecidos, quando um helicóptero da Força Aérea, que participou nas operações de busca entre as 11:30 e as 13:30, fez vários círculos numa zona próxima da linha de costa, mas tratou-se de um falso alarme.

Segundo Lopes da Costa, o helicóptero da Força Aérea detetou a presença de um "bidon" de combustível que constituía um perigo para a navegação e que foi posteriormente recolhido por uma embarcação da marinha.

Nos próximos dias, as buscas vão incidir principalmente junto à linha de costa a sul da praia do Meco, seja com meios marítimos ou terrestres, dado que é nossa zona que as autoridades admitem que possa vir a ser encontrado o corpo de algum dos cinco jovens desaparecidos desde a madrugada de domingo.

«A haver desenvolvimentos, a nossa perceção é que esses desenvolvimentos acontecerão junto à linha de costa», disse Lopes da Costa, lembrando que, pela mesma razão, a fragata Bartolomeu Dias já abandonou a zona onde decorrem as operações de busca.