A primeira fase de buscas por indícios que esclareçam as circunstâncias do desaparecimento de Madeleine McCann terminou este domingo ao final da tarde, após sete dias de investigação intensiva num terreno situado na zona urbana da Praia da Luz.

Cerca das 18:00 os mais de vinte elementos da equipa de investigação inglesa, entre agentes policiais e outros técnicos, começaram a desmobilizar, assim como os militares da GNR que durante a semana controlaram o acesso ao terreno, cujo perímetro de segurança foi desmontado.

Ao sétimo dia, os investigadores voltaram a vasculhar o local onde se concentram desde segunda-feira, estimando-se que as buscas sejam retomadas na quarta-feira em outros dois terrenos, segundo disse à Lusa fonte ligada à investigação.

O terreno examinado situa-se aproximadamente a 500 metros do apartamento onde a família McCann passava férias, mas os outros dois terrenos identificados pelas autoridades para análise estão fora do perímetro urbano da Praia da Luz, na estrada de ligação a Lagos.

A operação das polícias britânica e portuguesa estaria inicialmente prevista para durar cerca de uma semana e terminar na sexta-feira, mas o prazo foi estendido.

Além dos cães pisteiros, as autoridades já utilizaram nas buscas um georradar, tendo igualmente vistoriado parte do sistema de esgotos da povoação.

As operações de busca por indícios que ajudem a desvendar as circunstâncias do desaparecimento de Madeleine acontecem sete anos depois da menina inglesa ter desaparecido.

A menina desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico na Praia da Luz, Lagos.