Um juiz de instrução criminal de Vila do Conde decretou esta quarta-feira a prisão preventiva para o alegado autor do quádruplo homicídio de terça-feira na Estela, Póvoa de Varzim, disse o presidente da Comarca do Porto. Em causa, estão dois crimes de ameaça agravada, quatro de homicídio qualificado e um de posse de arma proibida. 

José António Rodrigues da Cunha deu esta informação pelas 19:30, cerca de meia hora após o arguido sair do tribunal, juntamente com o seu advogado, Jorge da Costa, que deixou implícito que o seu cliente ficaria com a medida de coação mais gravosa, mas não foi perentório.

"As medidas de coação são aquelas que vocês podem imaginar", disse apenas.


O suspeito entrou no tribunal às 15:45.

Dezenas de populares aguardaram, esta quarta-feira, a chegada ao tribunal de Vila de Conde do autor confesso do quádruplo homicídio na Póvoa de Varzim, chegando a empurrar os agentes da autoridade que ali se encontravam.

O homem é suspeito de ter morto a ex-mulher, os sogros e um enteado, na terça-feira de manhã, no café propriedade dos sogros, em Estela, Póvoa de Varzim. O filho do homem ficou ferido e terá escapado à morte porque pediu ao pai que não o matasse. O casal tinha ainda uma menina de 10 anos. Os dois filhos do suspeito do quádruplo homicídio estão agora a receber acompanhamento psicológico.