Os dois ataques registados na Turquia e na Costa do Marfim, este domingo, não provocaram vítimas entre os cidadãos portugueses que se encontram nesses países, avançou à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

"O nosso gabinete de emergência consular informa-nos que não há qualquer português entre os feridos ou os mortos destes dois atentados", afirmou José Luís Carneiro.

"Sabemos também que os 50 portugueses que estão inscritos na embaixada em Ancara [capital da Turquia] foram todos contactados, um a um, e todos se encontram bem. Agora, é sempre de admitir que haja outro português" cuja presença naquele país não tenha sido comunicada aos serviços consulares, sublinhou o governante.

Relativamente ao atentado que visou uma estância turística na Costa do Marfim, José Luís Carneiro apontou também para a ausência de vítimas entre a comunidade portuguesa.

"A informação que temos de Abidjan é que também não há portugueses entre os feridos ou os mortos deste atentado, felizmente", sublinhou.

O responsável adiantou ainda que "havia portugueses naquela estância turística, mas foi possível o contacto através dos serviços da embaixada no Senegal e nesse contacto que foi feito com esse português, ele próprio nos transmitiu que estava bem e que não tinha conhecimento de qualquer outro português que tivesse tido qualquer problema de maior".

Português a viver na Costa do Marfim fala sobre o ataque terrorista

E destacou: "É evidente que temos que continuar a acompanhar os acontecimentos, porque ainda se estão a determinar as vítimas. Portanto, os serviços consulares e diplomáticos continuarão a acompanhar e a recolher o máximo de informação possível".

José Luís Carneiro aproveitou esta oportunidade para apelar a "todos os portugueses que saem do país para que procedam à sua inscrição consular por forma a poderem ter o apoio das autoridades consulares e diplomáticas nessas suas saídas para o exterior".

Pelo menos 34 pessoas morreram e 125 ficaram feridas na forte explosão registada hoje no centro de Ancara, na capital da Turquia, segundo uma nova atualização do número de vítimas feita pelas autoridades turcas.

"A explosão foi causada por um carro carregado de explosivos perto da Praça de Kizilay", no centro da capital turca, refere um comunicado do gabinete do governador de Ancara.

Na Costa do Marfim, a organização terrorista Al-Qaeda no Magrebe islâmico reivindicou o ataque à estância balnear Grand-Bassam, que matou 14 civis.

No ataque morreram 22 pessoas, entre elas 14 civis, dois militares e seis atacantes, segundo o balanço oficial divulgado pela presidência do país.