O mistério em torno do caso da portuguesa encontrada desmembrada na Alemanha começa a ser desfeito, agora que a polícia parece ter descoberto a cena do crime. Lídia Maria da Cruz terá sido morta no apartamento de um português, identificado como Jorge P., que morreu entretanto, avança o portal alemão Mopo24.

A polícia encontrou vestígios de sangue da mulher nesse apartamento, localizado no bairro de Grunau, onde a portuguesa encontrava guarida de vez em quando. As autoridades acreditam que Lídia tenha sido morta à facada.

O dono do apartamento, de 38 anos, foi encontrado morto em Lisboa a 19 de abril e as autoridades estão agora a investigar se as duas mortes estão relacionadas.

O corpo só poderá ser transladado para Portugal quando as investigações estiverem concluídas.

Lídia estava dada como desaparecida desde 9 de abril, dia em que se encontrou com uma amiga no bar "Blue Moon", em Leipzig, avança o jornal Bild. Esta terá sido a última vez que a portuguesa foi vista.

O corpo da mulher de 43 anos foi encontrado desmembrado num rio em Leipzig, na quinta-feira da semana passada. Lídia tinha emigrado para a Alemanha há quatro anos, com o namorado, mas atualmente estava desempregada.