Os autores Gil Vicente e Camões estiveram, esta terça-feira, ausentes do exame de Português do 9.º ano, surpreendendo os professores que passaram quase metade do ano a preparar os alunos para os clássicos que habitualmente surgem nas provas.

A prova da primeira chamada foi, no entanto, considerada objetiva, clara e coerente pela Associação de Professores de Português (APP).

«Está de acordo com o programa e com as metas. Não apresentava grandes dúvidas aos alunos», disse à agência Lusa a presidente da APP, Edviges Antunes Ferreira.

O primeiro grupo de questões, de escolha múltipla, assentava numa entrevista feita ao escritor Mário de Carvalho. «Os alunos, desde que lessem com atenção, conseguiam responder», afirmou a professora.

No segundo grupo, apresentava-se um excerto de um texto de Machado de Assis (Memórias Póstumas de Brás Cubas), orientado com um glossário que ajudava os alunos a «perceberem perfeitamente», acrescentou.

Prova de Português do 9º ano foi «fácil»

«A grande novidade prende-se com o facto de não vir nenhuma questão relacionada com Gil Vicente ou Camões», referiu a responsável pela APP, sublinhando que os professores estiveram «quase metade do ano» a lecionar matéria sobre estes autores.

O facto poderá «causar alguma estranheza», admitiu.

A associação espera que as médias possam subir um pouco, à semelhança do que aconteceu com as provas finais da disciplina já realizadas pelos alunos do 1.º e do 2.º Ciclo.