Efetivos da Guardia Civil e da GNR e montanhistas voluntários de Portugal e Espanha retomaram hoje, «com a mesma esperança do primeiro dia», as operações de busca do montanhista português João Marinho, desaparecido nos Picos da Europa.

«Cada dia começamos as buscas como se fosse o primeiro dia. A esperança nunca morre», disse à agência Lusa fonte da Guardia Civil em Gijón.


Um total de 21 efetivos da Guardia Civil e 10 elementos da GNR portuguesa estão envolvidos nas operações, segundo explicou a mesma fonte, referindo que no terreno está ainda um helicóptero das autoridades espanholas.

Durante o dia de domingo participaram nas buscas quase 50 pessoas, incluindo voluntários dos dois países, 12 espanhóis e seis portugueses.

De acordo com o porta-voz da GNR, Major Marco Cruz, estão desde sábado nas Astúrias 10 militares do corpo de segurança português, cinco homens do agrupamento de montanha da Serra da Estrela e cinco binómios (equipa homem e cão) do Grupo de Intervenção Cinotécnica de Busca e Salvamento.

Marco Cruz disse à Lusa que, no domingo, as buscas se «concentraram em zonas mais altas» do possível trilho que alegadamente João Marinho fez, mas que tiveram de ser interrompidas no final do dia devido às «condições atmosféricas adversas».



Nas operações estão efetivos da Guarda Civil de Cangas, Onis, Mieres, Sabero (León), Potes (Cantábria) e Puebla de Trives (Ouresen) e cinco montanhistas e cinco guias caninos voluntários.

No domingo, as condições atmosféricas - neve, nevoeiro e vento forte - impediram que os helicópteros pudessem deixar os especialistas e voluntários nas zonas de busca, pelo que tiveram que realizar a maior parte do itinerário a pé.

João Marinho, atleta natural de Amarante, distrito do Porto, é adepto de desportos radicais e encontra-se desaparecido há cerca de uma semana nos Picos da Europa, ao que tudo indica próximo de Pena de Santa de Castilla, entre a vertente de Leão e das Astúrias.

Na quarta-feira chegaram às Astúrias três elementos do Grupo Operacional de Busca e Salvamento (GOBS) da Póvoa do Varzim e um cão labrador treinado para busca e salvamento, para participar nas buscas, juntamente com as autoridades espanholas.