Dez pessoas foram constituídas arguidas em Portugal e seis foram detidas em Espanha na sequência do desmantelamento de um grupo criminoso organizado que se dedicava à produção e comercialização de bebidas alcoólicas nos dois países, informou hoje a GNR.

Os dez arguidos em Portugal são nove homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 38 e os 50 anos, que estão acusados da prática dos crimes de associação criminosa, introdução fraudulenta qualificada no consumo e fraude fiscal qualificada, lê-se num comunicado da GNR.

Em Espanha, o Cuerpo Nacional de Polícia efetuou 11 buscas nas regiões de Vigo e Ourense, tendo detido seis homens, um dos quais de nacionalidade portuguesa.

Foram também apreendidos 45.000 litros de álcool e bebidas alcoólicas marginais, 350.000 euros em numerário, 19 armas de fogo, uma pistola e uma granada.

«Licor ibérico» foi o nome da operação realizada, que nas últimas 24 horas abrangeu 16 buscas domiciliárias e 14 não domiciliárias em Portugal e que, segundo a GNR, permitiu desmantelar um grupo que terá lesado o Estado português em cerca de três milhões de euros.

Iniciada há um ano, a investigação culminou na realização de buscas em diversas localidades dos distritos de Lisboa, Porto, Santarém, Aveiro, Leiria e Viana do Castelo, lê-se no comunicado da GNR.

Catorze viaturas de gama média/alta , 36 telemóveis e mais de 3.000 euros em numerário foram apreendidos pela GNR durante as buscas.

As operações mobilizaram 80 investigadores da Unidade de Ação Fiscal da GNR e 30 elementos do Cuerpo Nacional de Policia.