O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom prometeu esta quinta-feira que os trabalhadores vão continuar a lutar, admitindo mesmo o recurso a nova greve, caso os direitos e postos de trabalho continuem a ser postos em causa.

Decidimos que é necessário continuar a lutar, com todo o tipo de ações e pressão sobre o governo, no sentido de sermos recebidos. Há disponibilidade total para uma nova ação igual ou superior à feita no dia 21 [de julho], se as coisas não se resolverem normalmente e neste tempo imediato", admitiu Jorge Félix.

Depois de um plenário que decorreu ao longo de três horas, os trabalhadores concentraram-se à entrada das instalações da PT de Viseu com uma tarja onde se podia ler "os trabalhadores da PT reclamam que o governo impeça a destruição da PT Portugal".

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom, "as transmissões que estão na Portugal Telecom são irregulares e ilegais".

Depois do que o senhor primeiro-ministro teve a coragem de dizer publicamente, tem de passar das palavras aos atos e fazer com que esta situação seja revertida, nomeadamente em relação aos 155 trabalhadores que já foram transmitidos e para que não haja mais transmissões deste tipo e feitas desta forma", apontou.

Em Viseu, dos 90 trabalhadores da PT, cerca de 10 já saíram após rescisão, "sendo seis os que foram transmitidos desde o dia 22 de julho".