A Livraria Lello, no Porto, ultrapassou em 2016 a fasquia de um milhão de visitantes e vendeu mais de 357 mil livros, cinco vezes mais do que em 2015, revelou esta quinta-feira um administrador.

Em entrevista à Lusa no âmbito do 111.º aniversário da Livraria Lello, que é celebrado esta sexta-feira, o administrador Pedro Pinto avançou que em 2016 venderam cinco vezes mais livros do que há um ano e meio e receberam “um milhão e 50 mil visitantes”, um número que classificou de “impressionante” face ao espaço exíguo.

Vendemos cerca de 1.000 livros, mais concretamente 714 livros por dia, são cinco vezes mais do que vendíamos há ano e meio”, declarou o administrador daquela que é considerada uma das mais belas livrarias do mundo por vários órgãos da imprensa internacional - como o jornal The Guardian, que a elevou, em 2008, à terceira mais bela do mundo, ou a estação televisiva CNN, em 2014, que a considerou a mais linda do mundo.

Apesar de as vendas terem aumentando, Pedro Pinto assume que apenas 35% dos visitantes da Lello compram livros e, por isso, o objetivo para 2017 é fazer com que os restantes 65% de visitantes também invistam na compra de obras literárias.

“Só cerca de 35% das pessoas que nos visitam é que compram livros, portanto, ainda temos um grande trabalho pela frente, que é transformar os outros 65% em leitores e esse é o nosso objetivo para 2017”, assume o administrador, anunciando que vão lançar, no primeiro trimestre de 2017, um projeto de venda e entrega de livros em qualquer país do mundo, sem custo adicional.

A ideia para desenvolver o projeto de venda planetária a partir da Lello vem no seguimento de um estudo que aquela livraria portuense encomendou à multinacional Nielsen, onde se concluía, por exemplo, que há quem não compre livros “porque os livros são pesados e porque as bagagens do avião levam a não comprar livros”.

A 12 de janeiro de 2016, na altura do 110.º aniversário, um dos administradores da Lello, José Manuel Lello, disse que a livraria já tinha aumentando em quase 300% a venda de livros diária nos últimos seis meses de 2015, altura em que começou a cobrar as entradas naquele espaço.

A Livraria Lello vai festejar o 111.º aniversário esta sexta-feira com oferta de livros, a atuação da ‘rapper’ Capicua e planos para começar a vender livros para todo o mundo em 2017.

Logo pelas 10:00 de sexta-feira, a Lello, localizada na rua das Carmelitas, número 144, junto à Igreja dos Clérigos, abre as portas a todos os visitantes, gratuitamente, e vai oferecer aos primeiros 111 visitantes um exemplar do livro infantil intitulado “Na livraria mais bonita do mundo”, que é uma edição da própria Livraria Lello.

A ‘rapper’ portuense Capicua apresenta pelas 11:00 o livro/disco “Mão verde”, oferecendo ao público uma breve atuação sobre o seu novo trabalho, para logo de seguida, pelas 11:30, serem inauguradas as primeira montras temáticas de 2017 da Livraria Lello, com coordenados da marca portuguesa Storytailors, apresentando vestidos inspirados na azulejaria e na porcelana portuguesas, em exposição até 28 de fevereiro.

Fazemos 111 anos (…). Este ano temos a curiosidade de fazer uma capicua e também lembrámo-nos da Capicua, a ‘rapper’, e vamos tê-la cá para o nosso aniversário”, contou à Lusa Manuel de Sousa, assessor da Livraria Lello, referindo que vão ser oferecidos aos primeiros 111 clientes 111 livros sobre a história da livraria.

Um dos destaques da programação para 2017 é o lançamento de um projeto no primeiro trimestre que visa a venda e entrega de livros em qualquer país do mundo, sem custo adicional, avançou à Lusa Pedro Pinto, um dos administradores da livraria.

Outro dos eventos destacados pela administração da livraria é a realização de um jantar especial a acontecer entre maio e junho deste ano, em homenagem ao pintor Salvador Dali e ao livro da sua autoria intitulado "Les dîners de Gala", publicado em 1973 e reeditado em 2016 pela Taschen, tendo como curador o ‘chef’ Pedro Lemos, que vai lançar o desafio a alguns cozinheiros de prestígio internacional para reinterpretarem algumas das 136 receitas gastronómicas que constam naquela obra.

Pelo seu requinte e exclusividade, acreditamos que este jantar se poderá tornar num dos eventos de maior notoriedade na cidade do Porto em 2017”, sustenta a administração da Lello.

No Dia Mundial do Livro, a 23 de abril, a Lello organiza o "Encontro das Livrarias Mais Bonitas do Mundo", designadamente a Atlantis Books (Santorini, Grécia), Librerie Acqua Alta (Veneza, Itália), Daunt Bookshop (Londres, Reino Unido) ou The Last Bookstore (Los Angeles, EUA), pretendendo convidar os seus representantes para uma reunião no Porto para discutir assuntos de interesse comum, nomeadamente um “Passaporte das Livrarias Mais Bonitas do Mundo” e um programa de intercâmbio de livreiros entra as diversas livrarias.

Ao longo de todo o ano de 2017 a Lello vai assinalar os “Dias Nacionais” e vai homenagear as nacionalidades dos visitantes que receberam nos últimos tempos com 12 dias nacionais, começando já no dia 11 de fevereiro a assinalar o dia da fundação nacional do Japão, e a 21 de abril o Reino Unido com o aniversário da rainha.

Animação noturna, encontros com autores internacionais, um concurso internacional de fotografia, leitura de contos para crianças dois domingos por mês, visitas guiadas à livraria no Dia Mundial da Criança ou o prémio de literatura marginal são outras das iniciativas que a Lello tem previstas na sua programação cultural para 2017.