Sem conseguir ficar indiferente às vozes críticas à decisão do Governo, de passar a sede da autoridade do medicamento, o Infarmed, para o Porto, o presidente da Câmara da Invicta, Rui Moreira, reagiu no Facebook.

Moreira postou, na sua página pessoal na rede social: “A adorar o ressabiamento de alguns. Assim vale a pena!”, mas depois parece ter-se arrependido da reação.

O texto foi publicado por volta das 15:30 desta quarta-feira, mas acabaria por ser apagado.

Ontem, minutos depois de o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, ter anunciado que a sede da autoridade nacional do medicamento vai  para o Porto a 1 de janeiro de 2019, o autarca disse que: “Queria agradecer ao Governo por tomar esta decisão e dar nota de que nós, quando não estamos satisfeitos com modelos centralistas, também estamos satisfeitos e agradecemos quando se tomam medidas desta natureza.”

Rui Moreira considerou que esta decisão é já um “primeiro impacto do que foi a avaliação das condições que a cidade do Porto, e todo o seu ambiente competitivo, têm para atrair instituições desta natureza.”

“Acreditamos que isto pode ser muito significativo para a economia do Porto, para a economia da região, também para a indústria”, acrescentou o presidente da câmara, garantindo que tudo fará para que o processo decorra da forma mais simples possível. Sobre Agência Europeia do Medicamento [EMA], que a cidade perdeu, Moreira fez questão de lembrar que o Porto entrou “tarde” na “corrida para a EMA”, mas, mesmo assim, conseguiram “apresentar uma candidatura num tempo recorde”.

O anúncio da transferência da sede do Infarmed para o Porto acontece um dia depois de esta cidade ter sido afastado da corrida à sede da EMA, tendo Amesterdão sido escolhida para o efeito.