Um grupo, autointitulado «alguns poetas», vandalizou durante a madrugada de hoje as instalações no Porto da Câmara de Comércio Luso-Israel em protesto contra «a ocupação da Palestina e o genocídio do seu povo».

Em comunicado enviado à Lusa, o grupo considera que «qualquer instituição que mantenha relações com o Estado de Israel é cúmplice com a ocupação da Palestina e o genocídio do seu povo».

«A intenção era a demolição mas, como boicotamos a Caterpillar, foi de pedra e tinta na mão», acrescenta.

Contactada pela Lusa, fonte da PSP confirmou que o espaço foi «vandalizado» mas «não se sabe por quem».

«Alguém arremessou uma garrafa de tinta vermelha a uma janela do escritório, partindo um vidro. A tinta acabou por provocar alguns danos no interior», disse a fonte da PSP, referindo que esta já não é a primeira vez que tal acontece.

Recentemente, «fizeram umas pinturas na fachada do mesmo edifício», acrescentou.

A Lusa tentou obter esclarecimentos junto da Câmara de Comércio Luso-Israel, mas sem sucesso.

Instalada desde 2007 no concelho do Porto, a Câmara do Comércio Luso-Israel foi criada com o propósito de facilitar as relações comerciais entre as empresas de Portugal e Israel.