O Tribunal Judicial da Comarca da Madeira condenou hoje a 20 anos de prisão o homem que matou a 08 de janeiro, no Porto Santo, a companheira com quem vivia em união de facto.

O Tribunal condenou ainda o arguido a pagar uma indemnização às filhas no valor de 137.953 euros.

O juiz considerou que o arguido, condenado pelo crime de homicídio qualificado, devia ter respeitado a família e a companheira, professora do ensino especial, com quem vivia desde 2005.

A leitura da sentença foi feita no Funchal, mas o julgamento começou a 28 de setembro no Tribunal Judicial do Porto Santo.

Num quadro de violência doméstica, a morte resultou da agressão desferida pelo arguido contra a companheira com uma faca de cozinha com 25 centímetros de comprimento e quatro de largura.

O crime ocorreu na tarde do dia 08 de janeiro, no sítio do Campo de Cima, na rua Urbizela, onde o casal vivia há algum tempo e o homem estava já referenciado pela Polícia da prática de violência doméstica, toxicodependência e alcoolismo.

A vítima tinha cerca de 50 anos, era professora do ensino especial naquela ilha e natural do Barreiro, assim como o ex-companheiro, de cerca de 40 anos.