A CRIL, que liga Algés a Sacavém, e a A2, que vai de Lisboa ao Algarve, são as estradas mais perigosas do país.

De acordo com dados do último relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, citado pelo Jornal de Notícias, foram identificados cinco pontos negros na CRIL. Trata-se de lanços com um máximo de 200 metros onde se registaram pelo menos cinco acidentes com vítimas.

Já a A2 apresenta quatro pontos negros.

Entre as estradas mais perigosas está também a A20, no Porto e a marginal que liga Cascais a Lisboa (EN6), ambas com três pontos negros identificados.

A Nacional 125, no Algarve, conseguiu sair do topo da lista, mas ainda apresenta dois lanços perigosos. Também a A3, do Porto a Valença, e a A28, do Porto a Vilar de Mouros, registam dois pontos negros.

Segundo a mesma fonte, os acidentes rodoviários aumentaram em 2016, pelo terceiro ano consecutivo, assim como os pontos negros identificados, que passaram de 28 em 2015 para 36 no ano passado. No entanto, diminuíram os acidentes com vítimas mortais.