A Câmara Municipal de Pombal alertou hoje para a existência de empresas a operar no concelho que têm abordado os munícipes para lhes venderem purificadores de água, recorrendo à apresentação de análises com resultados «deturpados».

Em comunicado, a autarquia informa que as empresas desse ramo contactam os munícipes, «procedendo à recolha dos seus dados pessoais e solicitando o acesso às habitações, com o objetivo de efetuar colheitas de água da rede e de realizar análises gratuitas à mesma».

Segundo o município, «após a realização dessas análises, são apresentados resultados deturpados, que indicam uma qualidade deficiente da água, levando depois a mesma empresa a apresentar uma proposta para aquisição de um "purificador" ou outro equipamento similar, o que poderá constituir uma possível e grave situação de burla».

O Município de Pombal informa a população que a «água fornecida pelos seus serviços cumpre todas as determinações estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde e pela União Europeia, sendo os resultados permanentemente fiscalizados pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR)».

A autarquia acrescenta que «a percentagem de água segura fornecida pelo Município de Pombal tem sido sempre superior a 99%, como poderá ser verificado nos relatórios oficiais da ERSAR e através de consulta dos resultados das análises, disponíveis no portal municipal».

Assim, «o eventual recurso a tratamentos adicionais da água da rede pública, executados pelos consumidores não acrescenta qualquer tipo de mais-valias qualitativas, pelo que não é aconselhado pelos serviços municipais o recurso a estas soluções».

Assegurando que «não foi verificado qualquer problema com a qualidade da água», o município pede aos clientes que entrem em contacto com as autoridades policiais, «caso sejam abordados ou tenham conhecimento de qualquer situação desta natureza».