Mais de quatro mil embalagens de sal foram encontradas na Reserva Natural do Estuário do Sado, entre as várias toneladas de lixo retiradas numa iniciativa promovida pela campanha “Mariscar SEM Lixo”, foi divulgado esta quarta-feira.

O lixo foi retirado de cerca de 8,2 quilómetros de distância de sapal, na zona adjacente aos portos palafíticos da Carrasqueira e do Possanco, em Alcácer do Sal, no distrito de Setúbal, numa área integrada na Reserva Natural do Estuário do Sado, indicou a Ocean Alive, entidade que promoveu a ação de limpeza no passado domingo.

Com a ajuda de 219 voluntários, foram retiradas do estuário do Sado 4.164 embalagens de sal e mais de três toneladas de resíduos, que incluem 179 pneus e 700 quilos de plástico, especificou a organização, num comunicado enviado hoje à Lusa, indicando não estarem ainda contabilizadas as redes e resíduos de grandes dimensões.

Desde março de 2016, a campanha “Mariscar SEM Lixo” já promoveu 29 iniciativas no estuário do Sado, em que contou a participação de 2.291 voluntários e de 12 mulheres da comunidade piscatória local que têm colaborado como “agentes de sensibilização dos seus pares”.

Ao todo, em cerca de dois anos, indicou a Ocean Alive, foram já recolhidas mais de 41 mil embalagens de sal, que são deixadas no rio por pescadores que usam o sal para capturar lingueirão.

No estuário do Sado foram recolhidas, desde 2016, 31,4 toneladas de lixo, das quais 4,87 toneladas foram encaminhadas para reciclagem.

A campanha “Mariscar SEM Lixo”, que tem como parceiro o Comité Nacional para o Programa Internacional de Geociências da UNESCO, pretende, através da sensibilização e da limpeza das margens do Sado, responder “ao problema global do plástico nos oceanos e visa eliminar o mau hábito dos mariscadores do lingueirão em deixar as embalagens de sal fino vazias na maré”.

A iniciativa de domingo foi coorganizada pela Associação da Comunidade Piscatória da Carrasqueira, com a parceria da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, da Junta de Freguesia da Comporta, da Herdade da Comporta, da Reserva Natural do Estuário do Sado e da Ambilital.

A campanha “Mariscar SEM Lixo” abrange a promoção de iniciativas de limpeza do estuário do Sado, mas também ações de “sensibilização direta aos mariscadores e comunidade piscatória” e ainda a criação de uma rede de 'stakeholders' locais que visa encontrar e implementar soluções que evitem o lixo da mariscagem.

“A colocação de contentores de lixo e de ecopontos nos locais de mariscagem” é um exemplo de ações concretas tomadas para promover “boas práticas”.

Para este ano, estão previstas iniciativas mensais com escolas locais e “quatro grandes ações de sensibilização da comunidade piscatória”, bem como mais ações de limpeza.