A Autoridade Marítima Nacional disse, nesta quarta-feira, que foi identificada uma “pequena bolsa de líquido”, que ainda está a ser alvo de análise, numa das praias da Costa da Caparica, Setúbal, assegurando que não há motivo de alarme.

Ontem [terça-feira], recebemos uma fotografia de um surfista que terá identificado uma bolsa de pequenas dimensões numa das praias da Costa da Caparica”, explicou à agência Lusa o porta-voz da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional, Fernando Pereira da Fonseca.

 

Após o alerta do surfista, o capitão do porto de Lisboa fez deslocar o piquete da Polícia Marítima, que terá confirmado a ocorrência, “que é uma situação circunscrita a uma pequeníssima área”.

A Polícia Marítima retirou amostras e comunicou a situação à Câmara Municipal de Setúbal, que, depois, “iniciou a recolha dessa pequena bolsa de líquido, que ainda vai ser alvo de análise”, indicou Fernando Pereira da Fonseca.

O responsável acrescentou que a Polícia Marítima fez também deslocar um engenheiro da capitania para confirmar se há mais alguma coisa.

Para já, não temos nenhum motivo de alarme”, garantiu o porta-voz da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional, frisando que só os resultados das análises revelarão o que é o líquido.

Na perspetiva do comandante Fernando Pereira da Fonseca, “é uma situação muito pontual e limitada”.

Questionado sobre a possível relação com o cargueiro espanhol que encalhou no rio Tejo, o responsável rejeitou qualquer ligação.

Não há qualquer ligação, por uma razão simples, é que o navio que está encalhado no Tejo está íntegro, não tem nenhum dano estrutural”, reforçou o porta-voz da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional.