São 800 metros de extensão de rio e de areal sujos com óleo combustível. A Polícia Marítima de Setúbal está a investigar a situação, causada pelo derrame que diz ser proveniente da Portucel (atual The Navigator Company).

O alerta da ocorrência de derrame de 'fuel oil', ou óleo combustível, foi feito pelas 18:30 de sexta-feira.

No local, a Polícia Marítima de Setúbal confirmou que o produto era proveniente da empresa que se dedica ao fabrico e comercialização de papel.

Hoje, aos primeiros alvores da manhã, confirmou-se a existência de uma faixa de areal poluído com hidrocarboneto, com cerca de 800 metros de extensão", nas margens do rio Sado, descreve a Polícia Marítima de Setúbal, indicando também que estão a decorrer investigações junto da empresa, para averiguar as causas de derrame.

Ao mesmo tempo decorrem os trabalhos de limpeza do areal e do rio Sado.

Empresa assume responsabilidades

A Navigator Company, antiga Portucel, assumiu já a responsabilidade por um derrame de óleo combustível no estuário do rio Sado, que comunicou às autoridades, e afirmou que não se registaram "danos ambientais, pessoais ou materiais".

Numa declaração enviada à agência Lusa, a empresa de produção de papel com fábrica no Complexo Industrial de Setúbal, na península da Mitrena, disse que o derrame se deveu a uma falha de uma válvula de um depósito de fuel, na sexta-feira, pelo que alertou as autoridades, tendo a operação de limpeza ficado "concluída perto das três horas de hoje", sem que houvesse danos.

Uma "falha na válvula de um depósito de fuel projetou este material para além do muro de contenção", disse a Navigator, que adiantou ter avisado "logo de imediato a Autoridade Portuária, a GNR Ambiente e a Polícia Marítima".

Fizemos de imediato a contenção de todos os pontos de contacto com adutor", referiu a companhia, em resposta por escrito à agência Lusa, acrescentando que a "operação foi concluída perto das três da tarde de hoje".

 

Não houve danos ambientais, pessoais ou materiais", garantiu a companhia.

A informação foi divulgada inicialmente pela Polícia Marítima de Setúbal, que recebeu o alerta da ocorrência de derrame de fuel oil, ou óleo combustível, pelas 18:30 de sexta-feira.

No local, a polícia confirmou que o produto era proveniente da fábrica da Navigator.

“Hoje, aos primeiros alvores da manhã, confirmou-se a existência de uma faixa de areal poluído com hidrocarboneto, com cerca de 800 metros de extensão”, nas margens do rio Sado, descreveu a Polícia Marítima de Setúbal, em comunicado, indicando também que estão a decorrer investigações junto da empresa, para averiguar as causas de derrame.