Um português foi detido da cidade de Wieruszowo, no centro da Polónia, acusado de abuso, violação e assassínio de um menino de três anos, de quem era o tutor legal, noticiou a Rádio Polónia

O homem, que foi interrogado pelos procuradores com a ajuda de um tradutor, não admitiu a culpa, mas as autoridades decidiram que vai ficar em prisão preventiva por três meses, enquanto aguarda um julgamento. Arrisca uma pena de 12 anos a prisão perpétua.

A informação sobre a medida de coação foi adiantada à agência Lusa pelo gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

A mãe da criança, de 23 anos, também foi detida, mas não foi acusada.

Um porta-voz dos procuradores disse que a mãe não estava presente durante o ataque e que não havia motivos para acreditar que estivesse envolvida em qualquer outro delito envolvendo a criança, acrescentando que seria libertada.

A mãe levou o seu filho a um hospital local na sexta-feira, que foi posteriormente transportado por via aérea para um hospital pediátrico especializado.

A criança morreu no sábado devido a um traumatismo craniano.

Contactada pela agência Lusa, fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas indicou que irá recolher informações sobre o caso junto das autoridades competentes.