A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve sete pessoas, seis das quais faziam segurança privada em empresa não titular de alvará ou licença, informou hoje a PSP. As detenções ocorreram no âmbito de ações de fiscalização da atividade de segurança privada, realizadas a sedes administrativas de duas empresas do ramo, uma de portarias e outra contratante, refere uma nota da PSP.

Entre as irregularidades detetadas a PSP enumera a titularidade de cartão de vigilante sem vínculo a qualquer empresa de segurança privada, não titularidade de cartão ou formação de segurança privada, vigilância de bens móveis e imóveis, vigilância estática e exploração de centrais de alarmes.

A PSP fiscalizou também cinco estabelecimentos comerciais da mesma empresa contratante, localizados em Lisboa, Sintra, Alfragide, Alverca e Loures, onde deteve quatro das sete pessoas.

Destes quatro vigilantes, dois têm cartão profissional, encontrando-se admitidos a empresas de segurança privada terceiras, embora estivessem a exercer funções por conta de entidade não titular de alvará. Os outros dois não são titulares de qualquer habilitação legal no âmbito da segurança privada.

Dos sete detidos três serão presentes hoje a tribunal, em Vila Nova de Gaia, para primeiro interrogatório judicial.

A PSP apreendeu ainda diverso material utilizado no exercício da atividade, designadamente livros de registo de atividades, escalas de serviço, relatórios de rondas, contratos de prestação de serviços, equipamento informático de receção e monitorização de alarmes, rádios emissores/recetores e auriculares, todos eles indiciadores da atividade de segurança privada ilegal.

Foram ainda detetadas infrações relativas à falta de autorizações da Comissão Nacional de Proteção de Dados para utilização de sistemas de videovigilância, bem como detetada a prática ilegal de revistas pessoais de prevenção e segurança em três superfícies comerciais.