A Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública anulou todas as provas realizadas no último concurso para chefes.

Além dos 110 testes suspeitos com nota de 20 valores, a PSP decidiu suspender também os restantes, independentemente da nota, de acordo com o Correio da Manhã desta terça-feira.

A polémica começou quando 110 dos candidatos a 200 vagas tiraram nota máxima nas provas psicológicas para o curso de chefes, em abril.

Os agentes que não obtiveram 20 valores acusaram os colegas de terem tido acesso à prova antes de a realizarem.

Na altura a PSP prometeu investigar a situação e sabe-se agora que foi aberto um processo de inquérito para apurar eventuais responsabilidades disciplinares.

A Direção Nacional da PSP não exclui a possibilidade de comunicar o sucedido ao Ministério Público.