Um agente da PSP foi ferido hoje de madrugada na Moita na sequência de uma desordem pública nas Festas do Vale da Amoreira, tendo sido levado para o hospital, disse hoje à Lusa fonte do CDOS.

De acordo com fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal, o polícia terá sido ferido com uma arma branca (uma faca ou uma navalha) e foi transportado para o hospital do Barreiro.

"Recebemos um alerta às 01:08 que um agente da PSP foi agredido e ferido com uma arma branca nas festas no concelho da Moita. O agente foi transportado ao hospital do Barreiro em estado grave", referiu a mesma fonte.


O ferimento foi feito quando o agente da PSP foi obrigado a intervir numa desordem pública causada por uma invasão a um dos palcos, segundo fonte oficial do comando distrital da PSP de Setúbal.

"Num evento que está a decorrer no Vale da Amoreira, a PSP foi requisitada para garantir a segurança. Ocorreu durante a madrugada uma desordem, com pessoas a subirem ao palco e a retirarem o microfone aos músicos", afirmou.


"Um agente foi agredido e ferido com o que se pensa ser uma arma branca. Foi transportado ao hospital do Barreiro para receber tratamento e encontra-se estável", disse, referindo que a PSP está a investigar o caso e que não tem conhecimento de nenhuma detenção efetuada.

Nuno Cavaco, presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, disse à Lusa que o agente da PSP foi ajudado por populares.

"Depois da invasão de palco, a polícia interveio e um agente foi barbaramente agredido. Houve populares que saíram em sua ajuda, com um a lançar-se mesmo para cima do agente de modo a evitar que continuasse a ser agredido", afirmou.


O autarca frisou que durante a desordem foram arremessadas pedras da calçada e garrafas contra as pessoas que estavam a atuar no palco e contra a polícia.

"Estive no hospital a acompanhar a situação do agente e este apresentava ferimentos na cara e perfurações na barriga, mas está estável e em recuperação, tendo ficado no hospital em observação", salientou, referindo que repudia toda a situação.