Uma mulher "curandeira", com 53 anos, foi detida pela Polícia Judiciária (PJ) da Guarda pela alegada prática do crime de burla qualificada. O montante em causa ronda os 200 mil, anunciou a PJ em comunicado.

"A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda, identificou e deteve a presumível autora de um crime de burla qualificada, ocorrido entre setembro de 2014 e maio de 2016”, diz a nota da instituição.

Acrescentado que "a detida está referenciada como curandeira e, na sequência de consultas para tratamento de doença da vítima, por meio de engano que astuciosamente provocou, determinou-a a entregar-lhe várias quantias em dinheiro, lesando-a em cerca de 200.000 euros".

A detida tem 53 anos e vai ser presente às autoridades judiciárias competentes, para primeiro interrogatório e aplicação das adequadas medidas de coação.