A Polícia Judiciária fez, esta terça-feira várias buscas no âmbito de investigação "O Negativo". Na sequência destas diligências foram constituídos arguidos três médicos da especialidade da imunohemoterapia "com responsabilidades nos concursos em investigação".

De acordo com o comunicado, as buscas foram realizadas em residências, gabinetes de contabilidade, consultórios médicos e Centros Hospitalares de Lisboa e Porto, "com o objetivo de detetar e apreender elementos relacionados com a prática dos factos em investigação".

No ‘Inquérito O Negativo’ investigam-se suspeitas de que Lalanda e Castro e Luís Cunha Ribeiro (ex-presidente do INEM, que estava ligado a procedimentos concursais públicos na área da saúde) terão acordado entre si que este último utilizaria as suas funções e influência para beneficiar indevidamente a Octapharma.

Em causa estão factos suscetíveis de se enquadrarem na prática de crimes de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem e branqueamento de capitais no âmbito do negócio de plasma.

No âmbito deste processo, foram igualmente constituídos arguidos um representante da Associação Portuguesa de Hemofilia e dois advogados.

O inquérito estava a ser acompanhado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, mas dada a sua “especial complexidade”, passou a ser conduzido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).