Em comunicado, a PJ refere que as vítimas foram mãe e filho, “ela com 91 anos, padecendo da doença de Alzheimer e de dificuldades visuais e auditivas, e ele com uma incapacidade motora permanente”.

“Foram ameaçados pelos assaltantes com uma arma de fogo e algemados com braçadeiras de plástico”.

Os assaltantes conseguiram roubar 1.200 euros, uma carteira com todos os documentos pessoais e um telemóvel.

Segundo a PJ, o homem “atuou de comum acordo e em conjugação de esforços com uma mulher”, já detida em março e que, “por decisão judicial, se encontra sujeita à medida de coação de prisão preventiva”.

A PJ refere que, após estes factos, o suspeito se ausentou para a Bélgica e só agora regressou temporariamente.

O homem, que não tem ocupação laboral, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.