Um homem de 30 anos foi detido na Lousã, distrito de Coimbra, em flagrante delito, pela presumível autoria de um crime de produção e tráfico de estupefacientes, anunciou esta sexta-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, a Diretoria do Centro explica que o suspeito foi detido por elementos da PJ nas imediações da vila da Lousã, no local onde possuía uma unidade de produção artesanal de estupefacientes.

A unidade de produção, segundo os investigadores, visava "a sintetização de grandes quantidades de 'ayahuasca', para extração/purificação de DMT (dimetiltriptamina), substância proibida com fortes propriedades alucinogénias, semelhante ao LSD".

"Esta foi a primeira ação do género realizada até à data em território nacional, da qual resultou ainda a apreensão de 240 doses de ‘cannabis’, uma quantidade assinalável de 'ayahuasca', mais de 70 litros, bem como toda a parafernália de objetos e produtos químicos utilizados no seu processamento, pesagem e embalamento", refere o comunicado.

Dada a especificidade do caso, os trabalhos de desmantelamento desta unidade de produção de estupefacientes foram desenvolvidos em estreita colaboração com o Laboratório de Polícia Cientifica, que fez deslocar elementos ao local.

O detido, desempregado e sem antecedentes criminais, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicadas como medidas de coação a apresentação diária às autoridades e proibição de se afastar da sua área de residência e de participar em festivais de música.