A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de duas vendedoras ambulantes suspeitas de burlarem uma sexagenária, que lhes terá entregado ouro no valor de 200 mil euros e mais 40 mil euros em dinheiro, na região de Lisboa.

Segundo disse a PJ à agência Lusa, as duas suspeitas, de 37 e 38 anos, «apresentaram-se à vítima com nomes falsos e convenceram-na de que a filha padecia de um mal grave», acrescentando que «esse mal poderia ser curado caso lhes entregasse todo o ouro que possuía, a fim de o mesmo ser benzido».

Na sequência da abordagem, feita em Setembro, e de posteriores encontros, a sexagenária ficou convencida de que a sua filha estava efetivamente doente e, «horrorizada pela situação, acabou por entregar às detidas todo o seu ouro (que avaliou em 200 mil euros), assim como 40 mil euros em dinheiro que levantou de várias contas bancárias», adiantou a polícia.

Aquando da detenção, as autoridades ainda apreenderam cerca de oito mil euros em dinheiro, duas viaturas de alta cilindrada e diversos televisores, supostamente provenientes da atividade ilícita das vendedoras.

As duas mulheres estão indiciadas pela prática de um crime de burla qualificada e ficaram em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial.

«As burlas cometidas com recurso a este "modus operandi" têm registado uma maior expressividade nos últimos meses, nomeadamente na área da Grande Lisboa, sendo as vítimas, normalmente, mulheres de idade avançada em situação de fragilidade psicológica que, por regra, são abordadas nas imediações de hospitais e igrejas», sublinha a PJ.

Em comunicado, a mesma fonte «alerta todos os cidadãos que eventualmente sejam alvo deste tipo de abordagem para não entregarem qualquer objeto ou valor e reportarem a situação de imediato à autoridade policial mais próxima».