A Polícia Judiciária (PJ) deteve dois médicos, um funcionário da Segurança Social e um reformado daquele organismo público pela prática dos crimes de fraude contra a segurança social, corrupção e associação criminosa, informou hoje a PJ.

Os detidos, com idades entre os 57 e os 63 anos, integravam um grupo organizado que, fraudulentamente, há vários anos, facilitava a atribuição indevida de reformas por alegada incapacidade dos respetivos beneficiários.

Durante a operação policial, realizada na segunda-feira em Porto de Mós e na Região da Grande Lisboa, onde ocorreram as detenções, foram cumpridos cerca de uma dezena de mandados de busca em organismos públicos, consultórios médicos, escritório de advogados e domicílios.

Na ação policial foram apreendidos cerca de 27 mil euros em numerário, presumivelmente resultantes daquela atividade delituosa, além de relevantes elementos de prova para a matéria sob investigação e de outros que indiciam também a prática do crime de posse de armas proibidas.

Os detidos vão ser submetidos a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.