A Polícia Judiciária (PJ) deteve esta quarta-feira dez empresários de Paredes e Paços de Ferreira suspeitos de fraude fiscal e branqueamento de capitais, anunciou a autoridade policial.

Em comunicado, a PJ refere que os detidos "serviam-se da emissão de ‘faturas de favor', sem qualquer transação que as fundamente, com o objetivo de aumentar ficticiamente os custos e consequente não liquidação, entrega ou pagamento da prestação tributária devida, bem como evitar declarar vantagens patrimoniais".

Acrescenta a força policial que aquela atividade contava com a colaboração de uma empresa de contabilidade.

A polícia acrescenta que as condutas dos suspeitos "causaram diminuição das receitas tributárias em montante ainda não apurado, na que se antevê ser na ordem de vários milhões de euros, tendo tais ganhos ilícitos sido branqueados em sociedades criadas com esse propósito".

Os detidos têm idades compreendidas entre os 38 e os 61 anos e vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

A operação policial da Diretoria do Norte da PJ foi realizada no âmbito de um inquérito do Ministério Público de Paredes, da Comarca de Porto Este.

Segundo o comunicado, a investigação tem sido desenvolvida pela Polícia Judiciária, "em articulação com a Autoridade Tributária e Aduaneira", contando ainda com a intervenção do Gabinete de Recuperação de Ativos da Polícia Judiciária".