O Tribunal da Relação do Porto vai decidir a extradição para França de um advogado detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de crimes económico-financeiros.

Segundo um comunicado, “a Polícia Judiciária, no cumprimento de um mandado de detenção europeu, localizou e deteve no dia de hoje na cidade do Porto um homem de nacionalidade portuguesa com 47 anos de idade, com vista à sua extradição para França”.

O comunicado não identifica o detido, mas antes fonte policial disse à Lusa tratar-se do advogado Miguel Moreira dos Santos.

O mandado emitido pelas autoridades francesas, prossegue o comunicado, “tem subjacente a eventual prática de crimes da área económico-financeira”.

O detido será apresentado ao Tribunal da Relação do Porto para ser decidida a extradição e eventuais medidas de coação.

O advogado Miguel Moreira dos Santos é filho de Gil Moreira dos Santos, sócio do escritório de advocacia GMSCC - Gil Moreira Dos Santos, Caldeira, Cernadas & Associados.

Este escritório, ao qual Miguel Moreira dos Santos não pertence “há mais de dez anos”, representa o FC Porto e o presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, indica o clube em comunicado na sua página oficial.

O advogado chegou porém a representar Pinto da Costa durante o processo ‘Apito Dourado’, um processo judicial sobre eventual corrupção na arbitragem e no futebol profissional e outros crimes associados.

Nos últimos anos, Moreira dos Santos foi ainda mandatário do ex-presidente da Câmara do Porto Nuno Cardoso, do futebolista Ricardo Quaresma e do treinador António Oliveira.