A Polícia Judiciária recebeu três denúncias de abusos sexuais num colégio particular da Amadora. O alegado agressor será o marido da diretora da escola e teria contacto permanente com as crianças.
 
As mudanças de comportamentos e atitudes deram o alerta aos pais de uma menina de seis anos:
 

“Não é normal ela estar fechada dentro do quarto e encontrei-a com a mão no órgão e perguntei-lhe o que se passava, se estava assada, etc. Ela disse-me que o senhor lhe tinha feito massagens”, conta a mãe da menina em causa

 

“Depois de ouvir o caso da primeira menina, com muita calma, cheguei a casa e perguntei-lhe se havia alguma coisa que a deixava desconfortável na escola. Ela disse: ”Sim, há uma coisa que me deixa desconfortável. (…) É que o X apalpa-me o rabo””, relata outra mãe.

 
O alegado autor dos abusos será, segundo os testemunhos de três crianças, o marido da diretora da escola, na Venda Nova, na Amadora. Os alegados abusos sexuais foram conhecidos apenas agora, mas o receio dos pais é que durem há já vários anos. O suspeito em causa teria contacto permanente com as crianças.
 
O alegado suspeito nunca levantou qualquer suspeita. “Havia só aquele excesso de colo, digamos assim, mas nada que apontasse. A mulher dele às vezes dizia que ele era um miúdo grande. Era capaz de estar cinco ou seis horas a brincar com os meninos no chão. Muito amigável. Muito culto. Muito educado.”
 
A direção da escola marcou uma reunião de emergência com os encarregados de educação. Nesse encontro, a diretora da escola terá negado a existência dos abusos, de acordo com o que a TVI apurou.
 
A TVI tentou chegar à fala com a proprietária da escola, mas a esta mostrou-se indisponível para prestar qualquer tipo de declarações.
 
Os alegados abusos estão a ser investigados agora pela Polícia Judiciária.