A comunicação "célere" dos factos pela GNR local permitiu à PJ encetar "imediatamente" diligências de investigação que vieram a conduzir à identificação do suspeito, refere a polícia de investigação, em comunicado.

“Atuando num quadro de diversão e incendiarismo, o suspeito deslocava-se por caminhos florestais, próximos do local de residência, terá iniciado dois focos de incêndio florestal com um isqueiro", assinala a PJ.

Acrescenta que úm dos incêndios, "de razoável dimensão", resultou na destruição de uma área de floresta composta por eucaliptal e pinheiro, situada nas proximidades de uma escola, de habitações e da autoestrada A3, "só não provocando prejuízos superiores devido à deteção e combate efetuado pelos bombeiros”.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das adequadas medidas de coação.