O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Morujão, revelou esta quinta-feira que o retiro dos bispos portugueses em Fátima e que estava previsto terminar na sexta-feira vai encerrar hoje.

«[O retiro] terminaria amanhã com o almoço, mas para facilitar a participação de todos os senhores bispos [nas cerimónias fúnebres], então antecipa-se o fim do retiro para meados desta tarde», por volta das 17:00, afirmou Manuel Morujão, referindo: «Assim se facilita a vida dos que querem participar».

Segundo Manuel Morujão, «seguramente que estarão lá praticamente todos [os bispos] nas exéquias solenes» do patriarca emérito.

Sem ter ainda informação sobre que entidades estarão presentes nas cerimónias fúnebres de José Policarpo, Manuel Morujão adiantou que «certamente o mundo social e político se quererá representar».

«A figura do patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, é uma figura que ultrapassa os limites da Igreja e muito considerada no campo cultural, como um grande intelectual e uma pessoa que soube intervir socialmente na linha da justiça, da concertação, do progresso», acrescentou o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa.

Na quarta-feira, os bispos portugueses consideraram o patriarca emérito de Lisboa José Policarpo uma figura marcante na renovação da Igreja em Portugal e um homem que soube «responder aos desafios dos tempos presentes».

«Todos reconhecemos nele uma figura marcante na renovação da Igreja em Portugal, com o seu sábio discernimento dos sinais dos tempos para responder aos desafios dos tempos presentes», refere um comunicado emitido no Santuário de Fátima, distrito de Santarém, onde estão reunidos os bispos para o seu retiro anual.

Lido pelo porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, o comunicado salienta que os bispos «receberam a dura notícia do falecimento de D. José da Cruz Policarpo, cardeal patriarca emérito de Lisboa», ao fim da tarde de quarta-feira, provocado por um aneurisma.

«De manhã, tinha deixado Fátima, numa ambulância, para ser tratado em Lisboa», adianta o comunicado, acrescentando: «Com profunda dor, mas também com grande esperança, os bispos agradecem a Deus a sua vida rica de boas obras, intensamente dedicada ao serviço da Igreja e do mundo, intervindo no campo pastoral, cultural e social com sabedoria e coragem evangélicas», cita a Lusa.

A missa exequial terá lugar na Sé Catedral de Lisboa às 16:00 de sexta-feira.