A Direção-Geral de Saúde (DGS) alertou esta terça-feira para os «efeitos adversos» que o aumento de partículas e poeiras no Alentejo e Algarve, provocados por uma massa de ar com origem em África, podem ter para a saúde.

O Alentejo e o Algarve vão ser afetados hoje por um massa de ar com origem no norte de África que irá aumentar a quantidade de partículas e poeiras, anunciou na segunda-feira a Agência Portuguesa do Ambiente.

Estas partículas, «como são pequeninas podem ser inaladas pelo sistema respiratório e podem ter efeitos adversos na saúde», afirmou hoje, em declarações à Lusa, Ana Leça, diretora de serviços de prevenção da doença e promoção da saúde da DGS.

De modo a «minimizar os riscos para a saúde», a DGS aconselha a que as pessoas «evitem esforços prolongados ao ar livre, exposições a fumo, principalmente os grupos que são mais vulneráveis a esta situação ¿ os doentes com problemas respiratórios crónicos, principalmente a asma, as crianças, os idosos e as pessoas com problemas cardiovasculares».

«A estes grupos recomenda-se, além de evitar a atividade física ao ar livre, que permaneçam no interior dos edifícios, se possível com as janelas fechadas, para evitarem a inalação destas poeiras», afirmou Ana Leça.