A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos manifestou-se, esta sexta-feira, «profundamente preocupada» com a carência de clínicos no serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), considerando que limita o acesso dos doentes aos cuidados de saúde.

O CHL fez saber que «faz o seu trabalho com qualidade, respondendo às necessidades dos seus utentes, dentro da sua capacidade e meios disponíveis», notando que «o problema de falta de médicos é comum a este e a outros hospitais desta dimensão».

Em comunicado, a secção refere que o CHL «tem promovido a saída dos médicos deste serviço», notando que, «no início deste ano, já com o serviço de Pneumologia reduzido a dois médicos, foi despedida uma profissional, sem que se conheçam os motivos técnicos para essa decisão», além de que, «ao não terem sido garantidas as condições adequadas ao exercício da assistência médica hospitalar, motivou-se a saída de outra».

Segundo a Ordem, este serviço, que «serve 14 concelhos e uma população de 400 mil habitantes, está hoje a ser assegurado por um único médico, com um limite de horas por semana».

Citado no mesmo comunicado, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, salienta que, «num serviço que foi já constituído por quatro médicos em permanência, é flagrante a impossibilidade de, com um único especialista, garantir as consultas e a assistência aos doentes em internamento que as boas práticas exigem».

Para a Ordem, é de «extrema gravidade» que, devido «à política de recursos humanos promovida pelo Ministério da Saúde», o CHL «esteja a racionar o acesso dos doentes dos centros de saúde da sua área de influência aos cuidados respiratórios domiciliários de que necessitam, que só podem ser receitados pelo especialista hospitalar».

Criticando a «falta de interesse em garantir os recursos humanos imprescindíveis para o bom funcionamento» daquele serviço, Carlos Cortes acusou a tutela de estar «a fazer tudo para fechar» o serviço de Pneumologia do CHL.

Em resposta, o conselho de administração do Centro Hospitalar de Leiria esclarece que este serviço «nunca teve mais de três médicos em simultâneo (situação que terminou a 1 de julho de 2008)», sendo que, «desde então, tem tido um ou dois médicos apenas».

«Atualmente, conta com a disponibilidade de um especialista, estando em curso a contratação de mais dois», adianta o CHL, especificando que decorrem concursos para provimento de duas vagas.

Segundo o CHL, em 2012 e 2013 foram postas a concurso «três vagas para celebração de outros tantos contratos com pneumologistas, ficando os mesmos desertos», garantindo que, «em altura alguma será posta em causa a qualidade dos serviços prestados aos seus utentes e que tudo fará para continuar a lutar para ter mais especialistas nas suas unidades».

«Este Centro Hospitalar não raciona qualquer tipo de acesso aos cuidados de saúde, lamentando-se a afirmação», acrescenta o conselho de administração.