A GNR anunciou, esta quarta-feira, a detenção, em Vila Nova de Foz Côa, de um homem de 23 anos, desempregado, por suspeita de crime de tráfico e de cultivo de produto estupefaciente.

O suspeito foi detido por militares do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial da GNR de Pinhel, na sequência de uma ação de vigilância realizada na terça-feira no âmbito de um inquérito relativo a consumo e tráfico de estupefacientes.

De acordo com o tenente-coronel Cunha Rasteiro, chefe da secção de investigação criminal do Comando Territorial da GNR da Guarda, o homem foi abordado pelos militares na localidade de Almendra, Vila Nova de Foz Côa, «após ter feito uma entrega de produto estupefaciente a dois indivíduos».

Após a abordagem, a GNR efetuou duas buscas, uma num terreno agrícola e outra na residência do suspeito, onde foi detetada a existência de uma plantação de canábis, em duas estufas artificiais que se encontravam numa sala da habitação.

A GNR apreendeu 14 pés de plantas canábis com uma altura compreendida entre 0,60 e 0,80 centímetros, oito troncos de canábis, duas estufas em lona, um filtro para estufa e diverso material utilizado para estufas (lâmpadas incandescentes, ventiladores, termómetros, fertilizantes, temporizadores, desumidificadores e ventoinhas).

Foram também apreendidos, entre outros artigos, uma balança de precisão, três telemóveis, um moinho, um estilete, vários livros referentes ao cultivo de canábis e embalagens para o acondicionamento de produto estupefaciente.

A GNR apreendeu ainda 15,2 gramas de haxixe e 280 gramas de canábis e seis plantas de canábis que se encontravam num terreno baldio na área da freguesia de Santo Amaro, no mesmo concelho.

A fonte realça a apreensão de uma pequena máquina de lavar roupa alegadamente utilizada pelo suspeito para fabricar haxixe e pólen de haxixe, «utilizando um processo simples e sem a utilização de componentes químicos».

O tenente-coronel Cunha Rasteiro disse hoje a agência Lusa que a GNR deteve «um indivíduo que tinha alguma importância em termos do fabrico de haxixe no concelho de Vila Nova de Foz Côa».

«Pelas estufas encontradas via-se que o grau de especialização tinha como objetivo produzir de modo a ¿alimentar' o mercado local de estupefacientes», observou.

O chefe da secção de investigação criminal do Comando Territorial da GNR da Guarda admite que a detenção do suspeito «foi um rude golpe em termos do tráfico de estupefacientes ao nível do concelho de Foz Côa e limítrofes».

O detido vai ser esta quarta-feira presente ao tribunal de Vila Nova de Foz Côa para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventual medida de coação.