A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção, em Trancoso, de dois homens e de uma mulher, suspeitos dos crimes de lenocínio, auxílio à emigração ilegal e detenção de armas proibidas.

Segundo uma nota do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, a detenção foi realizada em articulação com as autoridades judiciárias do Tribunal de Trancoso «no âmbito de uma investigação em que se suspeita da prática de crimes de lenocínio, auxílio à emigração ilegal e de detenção de armas proibidas».

A PJ realizou «uma vasta operação policial», tendo cumprido diversos mandados de busca e detenção, identificado diversas cidadãs estrangeiras que se dedicavam à prostituição e procedido ao encerramento do local onde era exercida essa atividade, refere o comunicado.

No âmbito da investigação foram detidos um empresário de 52 anos, um segurança de 42 anos e uma mulher desempregada, de 34 anos, e identificada um mulher de 37 anos, cabeleireira, de nacionalidade estrangeira, que tem pendente um processo para expulsão do território nacional.

A PJ também apreendeu «vários objetos e documentos relacionados com a atividade em investigação e ainda uma arma de fogo e munições cuja detenção é proibida».

Os detidos vão ser presentes às autoridades judiciárias competentes para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação, segundo a PJ.