O sapador florestal suspeito de atear o incêndio florestal no dia 17 de julho, em Oleiros, distrito de Castelo Branco, ficou esta quinta-feira em prisão preventiva, disse à agência Lusa uma fonte da Polícia Judiciária (PJ).

A PJ anunciou esta quinta-feira de manhã que tinha identificado e detido um homem de 25 anos, casado, sapador florestal, pela presumível prática de um crime de incêndio florestal que teve origem nas proximidades de Mosteiro, concelho de Oleiros, no dia 17 de julho deste ano e que destruiu cerca de 291 hectares de vegetação.

À Lusa, a mesma fonte, explicou durante a tarde, que o suspeito ficou em prisão preventiva no estabelecimento prisional de Castelo Branco, depois de ouvido em primeiro interrogatório judicial pelo tribunal local, para lhe serem aplicadas medidas de coação.

Na operação de detenção do suspeito, a PJ contou com a colaboração da GNR de Oleiros e da Sertã (distrito de Castelo Branco).

Este ano, a PJ já identificou e deteve 42 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.