A Polícia Judiciária deteve seis homens suspeitos da prática de vários crimes de rapto, sequestro, roubo qualificado, ofensa à integridade física qualificada e associação criminosa, que apanhavam pessoas depois de terem ido ao casino.

Os indivíduos integravam um grupo organizado que praticavam os crimes com recurso a “grande violência física”. Os visados dos crimes eram pessoas que se identificavam em casinos e que, por isso, eram potencialmente detentores de elevadas quantias em dinheiro e bens de valor.

Em comunicado, a PJ detalha que os detidos têm idades compreendidas entre os 23 e os 29 anos. Fonte da Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo precisou ainda que as detenções ocorreram na terça-feira, na zona da Grande Lisboa, e que os detidos estão hoje à tarde a ser presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

Durante a operação, designada de “Casino Royal”, a Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo (UNCT) deu cumprimento a mais de 20 mandados de busca e seis de detenção, tendo apreendido elementos de prova “muito relevantes” para os autos, refere a nota.

Em declarações à agência Lusa, a mesma fonte da UNCT referiu que a maioria dos detidos é da zona da Grande Lisboa, não tem emprego e alguns deles tinham antecedentes por crimes menores.

A investigação começou no primeiro semestre deste ano com base numa queixa de uma das vítimas. Os suspeitos "tinham um cuidado especial na seleção e estudo das potenciais vítimas".

"É uma situação que já gerava alguma preocupação, porque os crimes ocorriam com alguma frequência, esta vinha a aumentar e causava grande dano nas vítimas, sobretudo ao nível da instalação do medo, dada a violência física usada contra as vítimas", observou.

De acordo com a nota da PJ, aos seis detidos foram ainda apreendidos outros elementos que indiciam também a prática dos crimes de detenção de arma ilegal e tráfico de estupefacientes.

A investigação continuará, com vista à identificação de outras vítimas do grupo e à consolidação dos elementos de prova já recolhidos.