A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta segunda-feira, a identificação de um rapaz de 11 anos suspeito da autoria de um incêndio florestal ocorrido na sexta-feira em Silvares, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a PJ afirma que a criança é suspeita de ter ateado o incêndio, com recurso a um isqueiro, num terreno com abundante vegetação seca e rasteira, perto de uma moradia e de uma zona florestal de pinheiros bravos e alguns eucaliptos.

A investigação, a cargo do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, não permitiu determinar "qualquer motivação racional ou explicação plausível" para a atitude do rapaz, adianta.

"Apenas a pronta deteção do início do fogo por parte de alguns populares permitiu um rápido e eficaz combate do mesmo", frisa a PJ, referindo que as chamas foram primeiro combatidas pelos populares e depois pelos bombeiros, intervenções que impediram que o incêndio "atingisse proporções de maior relevo".


No texto, a Polícia Judiciária esclarece que dada a idade do presumível autor do incêndio não haverá lugar a um processo-crime, mas a lei permite a possibilidade se ser instaurado "um específico processo tutelar educativo", tendo o inquérito sido remetido às autoridades judiciais da comarca de Castelo Branco.